TRANSLATE:

25.7.15

Tranças e Tradições: Cabelo Afro e significados

Já trancei o cabelo algumas vezes. Adoro!! É um statement de poder e individualidade.
Quando faço meu cabelo inteiro demora mais de 5 horas nas mãos de uma pessoa especializada em Florianópolis (com @feijaodreads).

 A Feijão atende a domicílio e fez meu cabelo nos últimos 4 anos. 
O Cabelo é um fator cultural importante para muitos povos. Gosto de salientar referências que remontam a Antiguidade na África. Além do significado social, há o apelo estético de estilos e penteados.
A tradição de tranças na África me fascina e é praticada desde Séculos antes de Cristo.Veja essa escultura do Século 5 a.C. que retrata um filho de Faraó do Egito Antigo - Eles usavam uma trança no lado direito da cabeça. 
Sylvia Ardyn Boone, uma antropóloga especialista na cultura Mende (África - Oeste - Serra Leoa) explica que eles admiram mulheres com cabelos longos e espessos. Esse tipo de cabelo demonstra força vital, o poder da profusão, prosperidade, sorte na agricultura (green thumb) e fertilidade para gerar filhos saudáveis. (Tharps e Byrd 2001). Os cabelos deveriam ter um estilo específico com tranças de raiz (cornrows) e outros estilos de trança com ornamentos como contas, miçangas e conchinhas.
Na África acredita-se que o cabelo é um meio para se comunicar com o Ser Divino. De acordo com Mohamed Mbodj, um professor da Universidade Columbia, o cabelo é o ponto mais elevado no corpo, logo, o mais próximo do divino. Mas nas mãos de inimigos, é um ingrediente para usos indevidos - como vemos em muitos filmes que tratam de bruxaria.
Na civilização africana uma variedade de estilos de cabelo e penteados foram criados conforme cada tradição tribal. Apesar de serem diferentes, convergiam em significado cultural e social.
As culturas do oeste africano Mende, Wolof, Mandingo e Yoruba traziam nos cabelos os símbolos de idade, estado civil, identidade étnica, religião, saúde e status. As meninas Wolof no Senegal, quando novas, tinham o cabelo parcialmente raspado para simbolizar que não estavam cortejando. Isso pois o cabelo, especialmente longo e com penteado é associado à sedução. Sendo assim, viúvas em muitas culturas também deixavam de embelezar seus cabelos em respeito ao defunto, para não atrair outros homens.
O penteado pode uma serie de decorações: contas, préolas, botões, medalhas, metais, pedras, anéis, madeira, ossos. Alguns povos se destacaram quanto ao hairstyle: Fulge e Peul (Fulani).
O tráfico de escravos incitou repressão à cultura afro-descendente e uma das ações dos donos de escravos negros (sim, a expressão não é redundante pois existiram escravos brancos) além de depreciar seus costumes e suas características singulares, era a de cortar os cabelos! As cabeças raspadas simbolizam indivíduos controlados e sem poder. (Tharps e Byrd, 2001).
Hoje em dia as tranças ainda são populares, e exploradas em diversos estilos. Cuidar dos cabelos e experimentar novos penteados é uma forma de explorar seu corpo sem os riscos e danos das tinturas, químicas e extensões. Muito forte na cultura do Hip Hop, afro-descendentes. Quem nunca foi à Bahia e saiu com um tererê? "Você já foi à Bahia, nega? Não? Então vá!” cantava Caymmi. Tem caruru, samba, vatapá e muitas tranças!!!
Veja alguns famosos que já ousaram nas tranças:








Read more on: African Hairstyles History of Black Hair

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir